Ir para o conteúdo

Mato Grosso Saúde
Acompanhe-nos:
Facebook
Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JUL
22
22 JUL 2020
MATO GROSSO SAÚDE
Máscaras de tecido devem ser trocadas sempre que apresentarem desgastes ou defeitos
O descarte do produto também deve seguir orientação para evitar contágio de profissionais que trabalham com a coleta de lixo e resíduos

O uso de máscaras é obrigatório em todo estado de Mato Grosso, conforme Lei 11.110 de 22 de abril de 2020, como forma de combate ao novo coronavírus. O seu uso diário pode acabar desgastando o ítem a ponto de ele perder sua função de proteger. Desta forma, o descarte e a substituição são fundamentais para ajudar no controle da transmissão doença.

O médico auditor do Mato Grosso Saúde, Dr. Joaquim Spadoni, orienta que, o momento ideal para a troca das máscaras é quando a máscara apresentar qualquer tipo de defeito, seja o tecido que ficou fino e desgastado, sejam as alças que perderam a sua função elástica, ou se apresentarem furos ou outros danos, elas precisam ser trocadas.

A melhor forma de realizar o descarte da máscara, segundo o médico, é, primeiramente, higienizá-las corretamente, colocá-las em um saco plástico e então realizar o descarte no lixo comum.

“O ato da limpeza da máscara antes do descarte é importante para evitar a transmissão do Covid-19 aos trabalhadores de coleta de lixo, catadores e até mesmo dos que trabalham nos lixões”, reforça.

Quanto ao melhor material, Spadoni informa que é preferível o uso de tecidos 100% algodão e em três camadas, como também recomenda a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e evitar materiais sintéticos.

“Existem muitos estudos sobre a quantidade de camadas, pois há uma questão entre a efetividade (ato de proteção) e a respirabilidade (capacidade do ar passar pelo tecido): quando mais fechada a trama do tecido mais efetiva a máscara será, porém, pode ficar mais difícil para respirar através dela. Os testes mostraram que o algodão puro (de camisa, fronhas, lençóis) é o melhor tecido. Já o tecido de algodão grosso, como o brim, pode ser usado em duas camadas pela sua espessura”, esclarece.

Já sobre as máscaras de Tecido Não Tecido, popularmente conhecida como TNT, a orientação da Anvisa é que elas não sejam lavadas e reutilizadas. Mas, de acordo com o dr. Joaquim Spadoni, os materiais sintéticos apresentam muitas variações em suas estruturas e o melhor a se fazer é seguir as recomendações dos produtores. 

Vale lembrar

As máscaras devem ser trocadas sempre que ficarem úmidas ou a cada quatro horas. Isso garantirá uma boa filtragem do ar.

“Sempre leve dois sacos plásticos, um para transportar as máscaras limpas, e um saco extra para as sujas e contaminadas. A limpeza pode ser feita, normalmente, com água e sabão”, ressalta o doutor Spadoni.

Fonte: Fernando Campos | Mato Grosso Saúde
Localização:
Av. das Flores, nº 941 - Jardim Cuiabá
CEP: 78043-172 - Cuiabá / MT
Atendimento de Segunda-feira a Sexta-feira das 08h às 17h.
Telefone para contato:
(65) 3613-7700      
Acompanhe-nos:
Facebook
Instagram
© Copyright Instar - 2006-2020. Todos os direitos reservados. Logo Instar
Seta
Copyright Instar - 2006-2020. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia